Este livro é dedicado a minhas irmãs em Cristo em todo o mundo que anseiam por aprofundar seu relacionamento com o Senhor, alcançar tudo o que Deus tem para elas e tornar-se tudo o que ele as criou para serem.

2. SENHOR, PURIFICA-ME E FAZE MEU CORAÇÃO RETO DIANTE DE TI


Antes de prosseguirmos, vamos deixar uma coisa bem clara: você e eu não somos perfeitas. Ninguém é perfeito. Ninguém chegou lá. Ninguém é incapaz de pecar. Ninguém vive sem problemas. Nin­guém já andou tanto tempo com o Senhor que saiba tudo e, portan­to, não tenha nada a aprender. Nenhuma de nós é tão completa a ponto de não precisar de nada de Deus. Nenhuma de nós tem tudo absolutamente em ordem.
Pronto! Está dito.
Por favor, não pense que eu disse essas coisas porque acredito que você precise saber delas. Pelo contrário, creio que você já sabe disso. Eu as mencionei porque quero que você saiba que todas nós sabemos disso. Sabemos disso sobre nós mesmas, e uma sabe sobre a outra. Assim, podemos ser completamente honestas conosco mesmas sobre nós mesmas.
Ao ler este livro, não quero que você sinta que deve tentar alcan­çar um padrão inatingível. Este livro não é sobre alcançar padrões. É sobre você permitir que Deus se torne seu padrão. Não é sobre você mesma tentar fazer alguma coisa acontecer. E sobre reconhecer que você não é capaz de fazer nada acontecer, mas você pode entregar sua vida a Deus e deixar que ele faça as coisas acontecer. Não é sobre encontrar formas de evitar o julgamento de Deus e sentir-se uma fracassada se não fizer tudo com perfeição. E sobre experimentar ple­namente o amor de Deus e deixar que ele a aperfeiçoe. Não é sobre fingir ser outra pessoa. É sobre tornar-se quem você é de fato. No entanto, a fim de ver essas coisas acontecer, é preciso que você seja completamente honesta consigo mesma e com Deus sobre quem você é neste momento.
As mulheres de todo o mundo querem viver de modo a dar fru­tos. Desejam habitar na graça do Senhor ao obedecerem a suas leis. Desejam ser inabaláveis nas verdades de Deus e, ao mesmo tempo, sensíveis ao sofrimento e às necessidades dos outros. Desejam conhe­cer a Deus de todas as maneiras que ele possa ser conhecido e dese­jam ser transformadas pelo poder de seu Espírito. Contudo, muitas vezes elas são duras consigo mesmas quando não vêem essas coisas acontecendo diariamente. São rápidas em detectar o que estão fazen­do de errado e lentas para apreciar o que estão fazendo certo.
Por isso, quero que você encare essa idéia de purificar seu coração não como um julgamento de que seu coração está impuro, mas sim como um chamado de Deus para que coloque tudo em ordem dian­te dele, a fim de que ele lhe possa dar todas as bênçãos que tem para sua vida. Veja isso como Deus preparando-a para o trabalho impor­tante que ele tem para você mais adiante.
A fim de conseguir fazer isso, você terá de examinar sua vida muito bem. Terá de ser corajosa o suficiente para dizer: "Senhor, mostra-me o que está dentro de meu coração, alma, mente, espírito e vida e que não deveria estar lá. Ensina-me o que não estou compreendendo. Convence-me sobre onde estou errando o alvo. Acaba com minha arrogância, orgulho, medo e inseguranças e ajuda-me a enxergar a verdade sobre mim mesma, minha vida e minha situação. Expõe quem eu sou, Senhor. Eu posso agüentar. Capacita-me para que eu corrija meus caminhos errados. Ajuda-me a colocar a verdade no lugar das mentiras e a fazer mudanças duradouras".
E preciso coragem para fazer uma oração como essa. Talvez mais coragem do que muitas de nós têm no momento. Se você está hesi­tando em deixar que o Senhor exponha seu coração por causa daqui­lo que ele pode revelar, então peça a Deus que lhe dê a coragem de que você precisa. A fim de ver mudanças para melhor ocorrendo em sua vida, você precisa estar aberta para a obra de purificação e aperfei­çoamento do Espírito Santo. Você precisa permitir que ele exponha seu coração para que você não se engane sobre você mesma e sua vida. Precisa convidá-lo a criar um coração puro dentro de você. En­tão, deve estar disposta a fazer estas duas coisas:
1. Confessar a Deus qualquer pecado em pensamento ou ação que ele lhe mostrar.
2. Arrepender-se das coisas que acabou de confessar.

A verdadeira confissão
Não pense que não tem nenhum pecado a confessar, só porque não é uma assassina nem nunca roubou um banco. Não pense que, por estar caminhando com o Senhor há alguns anos e freqüentar a escola dominical e estudo bíblico durante a semana, bem como todas as reuniões de oração entre uma coisa e outra, não tenha nada de que se arrepender. O pecado não precisa ser óbvio, com luzes piscando ao redor, para ser pecado. Por exemplo, você alguma vez já duvidou de que Deus pode fazer aquilo que ele promete em sua Palavra? A incre­dulidade é pecado. Você já fez um comentário sobre outra pessoa que não foi exatamente lisonjeiro? A fofoca é pecado. Você já evitou al­guém temendo que essa pessoa fosse pedir algo que você não gostaria de dar? O egoísmo é pecado. Você já teve uma atitude de desamor para com outra pessoa? Aquilo que não vem do amor é pecado.
É difícil evitar o pecado o tempo todo. E por isso que a confissão é tão essencial. Quando não confessamos nossos pecados, falhas ou erros, eles nos separam de Deus. Então, nossas orações não são res­pondidas. "As vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça" (Is 59:2).
Quando não confessamos nossos pecados, acabamos tentando nos esconder de Deus. Como Adão e Eva no jardim, sentimos que não podemos encará-lo. Contudo o problema relativo a tentar esconder-se de Deus é a impossibilidade. A Bíblia diz que tudo o que fazemos será revelado. Até mesmo as coisas que dissemos e pensamos em segredo. "Nada há encoberto que não venha a ser revelado; e oculto que não venha a ser conhecido. Porque tudo o que dissestes às es­curas será ouvido em plena luz; e o que dissestes aos ouvidos no interior da casa será proclamado dos eirados" (Lc 12-.2,3). "E não há criatura que não seja manifesta na sua presença; pelo contrário, todas as coisas estão descobertas e patentes aos olhos daquele a quem te­mos de prestar contas" (Hb 4:13).
Que idéia mais assustadora! Se cada uma de nós terá de prestar contas, quanto antes acertarmos as coisas com Deus, melhor. Na verdade, quanto antes tratarmos dos pecados que podemos ver, mais rápido Deus nos revelará os que não podemos enxergar. E só Deus sabe quantos desses estão habitando em cada uma de nós.
Todo pecado tem uma conseqüência. O rei Davi descreveu isso muito bem quando falou de seu próprio pecado não confessado: "Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pe­los meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio" (Sl 32:3,4).
Lembro-me de ter ressentimentos para com meu marido por pa­lavras que ele me disse e que me magoaram profundamente. En­quanto me agarrei àquela mágoa e ressentimento, senti-me fisica­mente enferma. Não queria confessá-los, pois considerava meus sen­timentos justificados e ele o errado. No entanto, finalmente percebi que todo pecado é pecado, então confessei meu ressentimento a Deus como pecado - e no momento que o fiz, a sensação de enfermidade em meu corpo se foi. "Não há parte sã na minha carne, por causa da tua indignação; não há saúde nos meus ossos, por causa do meu pecado. Pois já se elevam acima de minha cabeça as minhas iniqüidades; como fardos pesados, excedem as minhas forças. Tornam-se infectas e purulentas as minhas chagas, por causa da minha loucura" (Sl 38:3-5). A vida já é bastante difícil sem termos de carregar de um lado para o outro ossos velhos, secos, doentes e fracos.
Não há nada mais pesado do que o pecado. Não percebemos quan­to ele é pesado até que sintamos seu peso esmagador trazendo morte para nossa alma. Não sentimos quanto ele é destrutivo até que de­mos de cara com o muro que se ergueu entre nós e Deus por causa do pecado. Por isso é melhor confessar cada pecado assim que nos da­mos conta dele e deixar nosso coração puro e reto imediatamente. A confissão mostra abertamente nosso pecado para Deus. Quando você confessa seu pecado, não está informando Deus de algo que ele não sabe. Ele já sabe. Ele quer ser informado de que você sabe.
Confessar, porém, é mais do que só pedir desculpas. Qualquer um pode fazer isso. Todas nós conhecemos pessoas que têm um talento especial para pedir desculpas. O motivo pelo qual elas fa­zem isso tão bem é porque praticam o tempo todo. Precisam dizer "desculpe-me" repetidamente, pois nunca mudam suas atitudes. Na verdade, algumas vezes dizem "desculpe-me" sem nem ao me­nos admitirem que erraram. São os profissionais das desculpas. Suas confissões não significam nada. A verdadeira confissão, porém, sig­nifica admitir em detalhes o que você fez e então arrepender-se com­pletamente daquilo.

O arrependimento pleno
Uma coisa é reconhecer que você fez algo de errado e desobedeceu às leis de Deus; outra é entristecer-se com isso a ponto de resolver com determinação jamais fazer tal coisa de novo. Isso é arrependimento. Arrepender-se significa mudar de idéia. Dar meia volta e ir para o outro lado. Arrepender-se é sentir tão profundamente por seu ato a ponto de fazer o que for preciso para que não se repita. A confissão significa que reconhecemos que fizemos algo errado e admitimos nosso pecado. O arrependimento significa que sentimos por nosso pecado a ponto de nos entristecermos profundamente e mudamos de rumo.
Arrepender-se de algo não significa necessariamente que jamais vamos cometer aquele pecado outra vez. Significa que não temos a intenção de cometê-lo outra vez. Assim, se você se pegar confessando o mesmo pecado outra vez depois de tê-lo confessado há pouco tem­po e se arrependido dele, prossiga com sua confissão. Não deixe que o inimigo coloque o laço da culpa em seu pescoço e grite palavras de fracasso em seu ouvido. Confesse e arrependa-se quantas vezes for preciso até poder dar um coice no inimigo e ver que você venceu a batalha com esse problema. Não alimente pensamentos como: Cer­tamente Deus não vai me perdoar de novo pela mesma coisa que confes­sei semana passada. Ele perdoa toda vez que confessamos o pecado diante dele e nos arrependemos plenamente. "Bem-aventurado aquele cuja iniqüidade é perdoada, cujo pecado é coberto" (Sl 32:1). Você pode mudar o rumo das coisas em sua vida quando se volta para o Senhor e se arrepende.
Aprenda a confessar e arrepender-se rapidamente para que o pro­cesso de morte que começa a desenvolver-se cada vez que desobede­cemos às regras de Deus não tenha tempo de fazer grandes estragos, "porque o salário do pecado é a morte" (Rm 6:23). Peça a Deus dia­riamente que lhe mostre em que pontos seu coração não está puro e reto diante dele. Não deixe que nada a separe de tudo o que Deus tem para você.

Minha Oração a Deus
Senhor,
Coloco-me humildemente diante de ti e peço-te que purifiques meu coração de todo erro e renoves em mim um espírito reto. Perdoa-me por pensamentos que tive, palavras que disse e coisas que fiz que não te glorificaram ou que estão em contradição direta com teus mandamentos. Confesso-te especificamente (mencione quaisquer pensamentos, palavras ou ações que você sabe que não agradam a Deus). Confesso isto como pecado e me arrependo dele. Escolho deixar para trás esse tipo de pensamento ou ação e viver como tu queres. Sei que tu és "misericordioso, e compassivo, e tar­dio em irar-se, e grande em benignidade" (Jl 2:13). Perdoa-me por não dar a isso o devido valor.
Senhor, sei que tu és um Deus "que conhece os segredos dos corações" (Sl 44:21). Revela-me esses segredos quando não consigo enxergá-los. Mostra-me qualquer área de minha vida onde estou abrigando o pecado com meus pensamentos, palavras ou ações e que não reconheci. Mostra-me a verdade sobre mim mesma para que eu possa vê-la claramente. Examina minha alma e expõe minhas mo­tivações afim de revelar aquilo que preciso compreender. Estou dis­posta a abrir mão de hábitos inúteis e sem sentido que não são o melhor que tu tens para minha vida. Capacita-me para que possa fazer mudanças onde elas são necessárias. Abre meus olhos para aquilo que preciso ver, afim de que possa confessar todos os pecados e me arrepender deles. Desejo purificar minhas mãos e limpar meu coração conforme tu ordenaste em tua Palavra (Tg 4:8).
Peço-te: "Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniqüi­dade e purifica-me do meu pecado" (Sl 51:1,2). Senhor, "cria em mim... um coração puro e renova dentro em mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito" (Sl 51:10-11). "Absolve-me das [faltas] que me são ocultas" (Sl 19:12). "Vê se há em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno" (Sl 139:24). Faze-me pura e reta diante de ti. Desejo receber teu perdão afim de que venham tem­pos de refrigério de tua presença (At 3:20).

As Promessas de Deus para Mim
Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.
1 João 1:9

Amados, se o coração não nos acusar, temos confiança diante de Deus; e aquilo que pedimos dele recebemos, porque guar­damos os seus mandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável.
1 João 3:21,22

Confessei-te o meu pecado e a minha iniqüidade não mais ocultei. Disse: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniqüidade do meu pecado.
Salmo 32:5

Arrependei-vos, pois, e convertei-vos para serem cancelados os vossos pecados.
Atos 3:19

O que encobre as suas transgressões jamais prosperará; mas o que as confessa e deixa alcançará misericórdia.
Provérbios 28:13